O cancer pode estar na sua cozinha! Alimentos ultraprocessados e o risco de cancer.

cancer na cozinha refrigerador geladeira
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Alimentos Ultraprocessados e o Cancer

 

Os alimentos ultraprocessados são bastante conhecidos e adorados pelos seus sabores deliciosos e irresistíveis. Sem contar que além disso, eles também são super baratos! Fica até difícil pensar na qualidade nutricional de um alimentos desses na hora que você está comendo. É gostoso e ainda é barato? Não é mesmo…

Bom, o problema é que esses alimentos estão ocasionando danos à nossa saúde que podem até mesmo custar a nossa vida. Uma pesquisa publicada no BMJ (Jornal médico) pode te ajudar a pensar antes de comprar um bolinho com cobertura colorida e vários confetes comestíveis. Pesquisadores descobriram que pessoas que consomem mais alimentos ultraprocessados ​​têm maior risco de câncer. Tais alimentos são aqueles com palavras irreconhecíveis e impronunciáveis ​​na lista de ingredientes – qualquer coisa, desde o doce que transforma sua língua azul em sopas enlatadas de aparência mais saudável, embaladas com sabores artificiais, aditivos ou emulsificantes. A maioria dos alimentos são processados em algum grau, mas os alimentos ultraprocessados ​​costumam ter muito mais calorias, sódio e açúcar.

Problemas de Saúde

 

Pesquisas mostram há muito tempo que pessoas que vivem de alimentos ultraprocessados ​​tendem a ser mais obesas ou com sobrepeso. Elas também são mais propensas a ter problemas de coração e circulação ou diabetes. Comer muita linguiça processada como cachorro-quente também tem sido associado a um risco maior de câncer colorretalOs pesquisadores viram esse novo vínculo com o câncer quando analisaram registros alimentares de quase 105 mil adultos na base NutriNet-Sante, um grupo da população geral na França. Os indivíduos registraram o que comeram de uma lista de 3.300 itens alimentícios que foram categorizados pelo processamento, usando um sistema chamado NOVA.

O que os cientistas descobriram foi que um aumento de 10% na proporção de alimentos ultraprocessados ​​na dieta estava associado a um aumento significativo de mais de 10% nos riscos para câncer em geral e câncer de mama. Gorduras e molhos ultraprocessados, produtos açucarados e bebidas industrializados foram associados a um aumento do risco de câncer em geral“, diz o estudo. Produtos açucarados ultraprocessados ​​foram associados a um risco maior de câncer de mama“. Pessoas que tendem a comer mais alimentos ultraprocessados ​​também tendem a fumar mais e a se exercitar menos que os outros, mas os autores controlaram essas perguntas na pesquisa e ainda encontram o risco elevado de câncer.

 

O que são alimentos processados?

 

Macarrão e queijo em caixa, batatas fritas e hambúrgueres de fast-food são alguns tipos de alimentos processados ​​não saudáveis. Alimentos processados ​​caem em um espectro de minimamente a altamente processadosAlimentos minimamente processados ​​- como espinafre ensacado, vegetais cortados e nozes torradas – geralmente são pré-preparados para conveniência.

alimentos ultraprocessados cancer na cozinha

Os alimentos processados ​​em seu ápice para garantir a qualidade nutricional, incluem tomates enlatados, frutas e legumes congelados e atum enlatado. Alimentos com ingredientes adicionados para dar sabor e textura (adoçantes, temperos, óleos, cores e conservantes) incluem molho de macarrão, molho de salada, iogurte e misturas de bolo. Alimentos prontos para consumo – como biscoitos, granola e frango empanado – são mais processados. As refeições pré-confeccionadas são os alimentos mais processados, incluindo pizza congelada e jantares para micro-ondas.

Fonte: eatright.org

“Foi bastante surpreendente, a força dos resultados. Eles estavam fortemente associados, e fizemos muitas análises sensíveis e ajustamos os resultados para muitos co-fatores e, ainda assim, os resultados aqui foram bastante preocupantes”, escreveu a co-autora Mathilde. Touvier. “O que as pessoas comem é uma expressão de seu estilo de vida em geral e podem não estar vinculadas ao risco de câncer. Por isso, é necessário descartar os chamados fatores de co-fundador”, disse Tom Sanders, diretor científico da Fundação Britânica de Nutrição. um professor emérito do King’s College, em Londres. Sanders, que não esteve envolvido no estudo, disse que os autores fizeram ajustes estatísticos para acomodar algo sobre isso, mas ele avisa que “a abordagem de categorizar os padrões alimentares que dependem de alimentos processados ​​industrialmente em relação ao risco de doença é nova, mas provavelmente precisa ser aperfeiçoado antes que possa ser traduzido em conselhos dietéticos práticos “. “Este estudo não significa que as pessoas devam pensar ‘se eu comer este biscoito, vou ter câncer'”, “A mensagem primordial deste estudo foi realmente olhar para um padrão geral de dieta, em vez de um ingrediente específico, e suporta muito do que já sabemos.” Por exemplo, ela disse que as pessoas que comem mais alimentos altamente processados ​​provavelmente estão ingerindo menos alimentos saudáveis, o que pode ajudar a prevenir o câncer. Nutricionistas recomendam uma dieta rica em grãos integrais, frutas inteiras e vegetais, em vez de alimentos que têm pouco valor nutricional.

Esse é um estudo observacional, o que significa que os cientistas não sabem exatamente o que está causando o aumento do risco de câncer, é preciso examinar mais de perto a conexão dos diferentes alimentos e entender a relação deles com o desenvolvimento do câncer. Estudos em animais mostraram que alguns aditivos são “ótimos candidatos” para serem carcinogênicos, “mas isso precisaria ser visto se eles também são carcinogênicos na população humana”. Os alimentos ultraprocessados ocupam uma parte crescente da dieta mundial. Um estudo de 2016 descobriu que 60% das calorias da dieta americana média vêm desse tipo de alimento. Um estudo de 2017 descobriu que eles compõem 50 por cento da dieta canadense, e eles compõem mais de 50 por cento da dieta no Reino Unido. 

Populações de outros países, incluindo o Brasil estão começando a comer dessa maneira. Uma dieta equilibrada e diversificada deve ser considerada uma das mais importantes prioridades de saúde pública. “Coma comida de verdade e tente limitar itens ultraprocessados”, “pelo menos até a ciência saber mais.”

Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin

Saiba de TUDO o que acontece no mundo Low-Carb

Receba Dicas, Receitas, Novidades e Podcasts no seu e-mail.

0
O que você achou? Comenta aqui!x
()
x